UFGD participa da elaboração do Ecossistema de Inovação de Dourados

O projeto reúne mais de 15 empresas e entidades, e busca fomentar o desenvolvimento social e econômico a partir da inovação em diferentes segmentos

Contando com 41 cursos de graduação, 23 cursos de mestrado e 11 cursos de doutorado, a UFGD reúne uma comunidade de mais de 8 mil pessoas que, em sua grande maioria, pesquisa formas de colaborar com o desenvolvimento econômico e social da nossa região. Por isso, a UFGD integra o grupo de instituições que lançou o projeto do Ecossistema de Inovação de Dourados. O evento de lançamento aconteceu no último dia 3 de setembro, de modo online.

“Vários professores e gestores da UFGD contribuíram em todas as etapas do projeto. As etapas de planejamento foram realizadas através de reuniões online, para – através da metodologia de atuação, gestão e monitoramento de maturidade do Ecossistema – poder estabelecer metas e objetivos para os passos futuros, de modo a consolidar o Ecossistema, em um futuro próximo”, conta o professor Mábio Silvan José da Silva, chefe da Divisão de Incubadoras, da Pró-reitoria de Extensão e Cultura (PROEX/UFGD).

Setores foco da inovação em Dourados
O primeiro passo do projeto foi um levantamento e discussão sobre as vocações do município, avaliando potências, tendências, oportunidades, atores potenciais, vertentes do radar de inovação, pontos fortes e fracos, e nível de maturidade do ecossistema.

Foram identificadas quatro principais vocações econômicas no município: atividades de atenção à saúde humana; fabricação de produtos alimentícios; agricultura, pecuária e serviços relacionados; eletricidade, gás e outras utilidades.

Os próximos passos do projeto são ações bastante práticas, entre elas a realização de cursos e eventos – como cursos de formação de mentores, organização de hackatons (maratonas de programação e design gráfico), encontros entre empresários e consumidores, etc. O projeto também prevê, a médio prazo, a criação de estruturas junto ao setor público do município – como por exemplo, a criação de um conselho setorial e de um marco legal de inovação.

Engajamento e participação
O projeto prevê, ainda, atrair mais empresários, empreendedores, pesquisadores e agentes públicos que possam colaborar para fomentar uma cultura de inovação em Dourados.

O professor Mábio destaca que apesar do grande número de pessoas da UFGD envolvidas no projeto, é sempre importante que mais estudantes e professores integrem o grupo, adicionando seus conhecimentos especializados em prol da inovação nos diferentes setores – não somente no comércio e indústria, mas também em áreas como cultura e educação.

“Para a economia e desenvolvimento local, o Ecossistema funcionará como um gerador e catalizador do empreendedorismo de inovação, através de estratégias que estimulem novos empreendedores e empreendimentos. Isso fará com que Dourados possa se tornar uma região modelo, quando o assunto for inovação e tecnologias. O Ecossistema de Inovação visa estimular e desenvolver a cultura empreendedora e a inovação na região de Dourados, através de parcerias sólidas, capacitação técnicas, obtenção de recursos/investimentos, dentre outros”, detalha Mábio.

O Ecossistema de Dourados é uma iniciativa conjunta, envolvendo as seguintes instituições: SEBRAE-MS, UFGD, UFMS, UEMS, EMBRAPA, IFMS, FUNDECT, UNIGRAN, SENAI, SENAR, SICREDI, ACED, ECOINOVA, startups, aceleradores e empresários atuantes na região de Dourados. É um projeto encabeçado pelo SEBRAE-MS com apoio do SEBRAE Nacional. O documento do Plano do Ecossistema de Inovação, que traz todos os resultados do trabalho realizado e também o plano de ação futura, pode ser acessado clicando aqui.

Matéria produzida pelo Setor Jornalismo ACS/UFGD e originalmente publicada no site da UFGD.

Postado em Notícias com as tags , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *